Home / Mão Amiga

INTRODUÇÃO

A Assistência Social do Instituto de Desenvolvimento Educacional e Assistência Social – IDEAS, na qualidade da construção da dinâmica de democracia e cidadania, vêm a público, criando espaços mais democráticos, a fim de promover formas de fortalecimento estratégico para recuperação do indivíduo nos níveis biopsicossocial e espiritual, com o desenvolvimento de atividades, junto a uma equipe interdisciplinar.

O atendimento Assistencial, consiste no desenvolvimento de ações diretamente com os usuários, especialmente com as famílias que estão em situação de vulnerabilidade. Seu objetivo é contribuir para que, junto com os usuários e familiares, se consiga responder às demandas colocadas, através de orientação sobre seus direitos e deveres, e encaminhamento a serviços, recursos sociais e programas públicos, tentando minimizar a situação de vulnerabilidade.

O presente trabalho tem por premissa problematizar, conscientizar e propor intervenções adequadas e necessárias nas áreas da prevenção e do tratamento de pessoas que sofrem com a dependência do álcool, crack e outras drogas.

Nota-se que há muitas discussões em todo o mundo quando o assunto é o consumo de álcool, tabaco e outras drogas psicotrópicas, virando este, um dos temas principais da saúde pública. Nas últimas décadas, muitas pesquisas foram realizadas no campo biológico, psicológico e sociológico, a fim de possibilitarem a elaboração de abordagens e métodos preventivos e tratamentos mais efetivos.

Segundo o Guia Prático elaborado e distribuído pela Prefeitura (2006), a intensidade e as complicações do consumo de drogas psicotrópicas variam ao longo de um continuum de gravidade, assim, não há apenas o dependente de álcool que bebe duas garrafas de pinga por dia, tem tremores matinais e cirrose hepática, mas também aquele que bebe dentro dos padrões considerados normais, mas se acidenta ao dirigir. Portanto, não basta olhar para o consumo em si, não considerando os danos que o mesmo acarreta aos indivíduos e seus grupos de convivência.

1. Mas a final, o que é a Droga?

Droga, de acordo com a Organização Mundial da Sáude (OMS), refere-se a qualquer substância não produzida pelo organismo que tem a propriedade de atuar sobre um ou mais de seus sintomas, produzindo alterações em seu funcionamento.

Outro ponto importante à considerar é que todas as substâncias psicoativas e psicotrópicas, podem levar ao uso nocivo ou à dependência. Nestes casos, mesmo havendo diagnósticos claros e objetivos, não basta apenas detectar, é necessário também investigar a gravidade dos mesmos, pois o uso problemático pode estar sendo acompanhado de transtornos psiquiátricos, tais como depressão, ansiedade, sintomas psicóticos e transtornos de personalidade.

2. Compreendendo a Dependência Química e os Fatores de Risco

Segundo Ribeiro; Marques (2006):

A dependência é, essencialmente, uma relação alterada entre o usuário e o seu modo de consumo. Todo o consumo de substâncias psicoativas e psicotrópicas, seja este lícito ou ilícito, é influenciado por uma série de fatores de proteção que diminuem ou aumentam o risco de complicações agudas e crônicas.

Ao longo da vida, cada um desenvolve um padrão particular de consumo de substâncias. Tal padrão é constantemente influenciado por uma série de fatores de proteção e risco de natureza biológica, psicológica e social.

As ações destes fatores se influenciam mutuamente. Desse modo, um fator de risco pode comprometer vários campos da vida ao ser potencializado por outros fatores desfavoráveis ou causar nenhum ou poucos danos, ao ser neutralizado por fatores de proteção. Esta interação determina a evolução do consumo de substâncias em andamento. É importante ressaltar que nunca um fator de risco isolado leva à dependência.

Vejamos agora, os Fatores de Risco para o Surgimento da Dependência Química:

 

BIOLÓGICOS

 

PSICOLÓGICOS

 

 

SOCIAIS

 

Hoje há uma grande demanda de usuários e dependentes de álcool, crack e outras drogas que necessitam e buscam tratamento e atendimento nos sistemas da rede pública de saúde, contudo, o governo do estado e as prefeituras da cidade e dos municípios de São Paulo, não tem conseguido atender e oferecer atendimento a todos que buscam tais intervenções.

Por isso, nasce o Projeto Mão Amiga, destinado a população, que precisa e quer voluntariamente de acolhimento e encaminhamento para a intervenção terapêutica apropriada, pois acreditamos que com seriedade, dedicação e competência, podemos oferecer ajuda à essas pessoas, dentro das possibilidades do projeto, o qual será apresentado a seguir.

  

PROJETO MÃO AMIGA

Missão

Atuar como um agente de acolhimento de pessoas em situação de vulnerabilidade social por conta da dependência de substância psicoativas.

 

Visão

Ser uma instituição integrada à sociedade a fim de oferecer programas de reabilitação e reinserção social por meio de palestras preventivas, formativas e a atuação na área de Prevenção e Tratamento da dependência de substâncias psicoativas.

 

Valores

Ética

Cidadania

Transparência

Humanização

Responsabilidade Social

Compromisso

Respeito

 

Objetivo Geral

Buscar meios de acolher, prevenir e encaminhar pessoas que enfrentam direta ou indiretamente o uso indevido de álcool, crack e outras drogas.

 

Objetivo Específico

 

 

 

 

 

Metodologia

 

1 – Divulgação do Trabalho pelos meios de comunicação do IDEAS

O projeto será divulgado por meio dos agentes sociais nas congregações e sub-congregações e, pelos meios de comunicação de acesso do IDEAS como Facebook, rádio, site, e-mail marketing, e afins.

 

2 – Os Agentes Sociais (Voluntário)

 

3 – Palestra Informativa

Trata-se de uma palestra para os usuários e dependentes, assim como para os cuidadores do mesmo, com a finalidade de apresentar o projeto para quem procura ajuda para o tratamento do uso e da dependência de substâncias psicoativas.

Será uma exposição a fim de apresentar aos presentes o que é a Droga, a Dependência, os Estágios da dependência e o tipo de tratamento indicado.

 

4 – Triagem

a)     Após a palestra, os interessados participarão da triagem e receberão o encaminhamento de acordo com o estágio em que o indivíduo/família se encontra e necessita.

b)     Com o encaminhamento recebido, serão formados pequenos grupos, os quais serão avaliados pelos técnicos, os quais recomendarão o melhor atendimento para o adicto, isto é, ou ele será encaminhado para o aconselhamento/acompanhamento, preventivo/terapêutico, ou será encaminhado para o CAPS/CREAS, ou para internação em uma das casas de recuperação credenciadas do IDEAS e outras instituições Parceiras.

c)     Na escuta da triagem, será identificado o tipo de situação/problema que a pessoa está enfrentando. Após a escuta, serão formados grupos terapêuticos homogêneos, isto é, a intervenção terapêutica será organizada por temas como: grupo de pessoas que trouxeram como queixa a violência doméstica; dependência química; conflito entre pais e filhos, entre outros. O propósito da triagem é identificar que tipo de ajuda a pessoa necessita e encaminhá-la para a intervenção terapêutica apropriada.

4 – Intervenção Terapêutica

 

Atendimento dos grupos compostos por até 15 pessoas, uma vez por semana, com 1h30min de duração. O período recomendado do tratamento de cada grupo é de no mínimo 6 meses.

Os atendimentos deverão ser realizados por um psicólogo devidamente credenciado e regularizado pelo Conselho Regional de Psicologia – CRP.

 

5 – Acompanhamento

As clínicas de recuperação credenciadas pelo IDEAS deverão encaminhar periodicamente um relatório sucinto do atendimento oferecido e da resposta da pessoa ao tratamento, informando ao IDEAS que os devidos cuidados estão sendo oferecidos e a evolução/adesão do adicto ao tratamento.

 

Por fim, o IDEAS representado na pessoa da Drª. KEILA FERREIRA (presidente), a qual deseja e vêm cumprir o seu papel de cidadania, sendo solidária junto as esferas públicas e privadas, estendendo sua Mão Amiga a todos quanto dela necessitar, contribuindo assim para a formação de um país sem violência e violação dos direitos humanos neste quadro de abismo sem fim.